quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Raven Research

Olá, meu nome é Edgar Raven. Há muito tempo, eu fundei, junto com Allan Pô a Raven Research, a primeira casa de pesquisa independente voltada à consultoria, palpites, chutes, chutes na canela e em outras partes, análises funestas, e previsões agourentas. Hoje, a Raven é referência em recomendações de amuletos, banhos de descarrego e rezas bravas, contando com mais de dois bilhões de clientes. Chegamos a um tamanho que nem nós mesmos aventavámos quando da criação da Companhia. Agradeço todos os dias por isso aos nossos clientes - seria impossível chegar aqui sem nossa modéstia, competência inigualável e paixão. Talvez a esta altura, você já conheça a Raven por conta de nossos serviços prestados nos últimos séculos. Temos ajudado milhões de clientes a fecharem seus corpos fazendo suas cabeças.
As palavras a serem ditas aqui gerarão polêmica. Elas podem ofender bastante gente. Porém, posso afiançar o ecumenismo da Raven. Aguardem!


segunda-feira, 9 de junho de 2014

sexta-feira, 18 de maio de 2012


Ainda a respeito de todos os meus possíveis delírios, ao pensamento de alguns, tais como essas associações mitológicas surreais, posso dizer que talvez a causa seja a carga genética recebida de meu tio Pedro Calderón de Barca que nos ensinou que A Vida é Sonho!

Como é bom também poder sonhar. Ora dormindo, ora acordado. Beijos aos sonhadores ou não. Bons sonhos

Agenda Esotérica: A Dama do Lago.

Agenda Esotérica: A Dama do Lago.













A Dama do Lago.


A Dama do Lago é a mais importante sacerdotisa de Avalon. É a fada das antigas lendas européias. É também chamada de Viviane.



Na mitologia pré-cristã, de origem celta, Viviane é filha de Diana, a deusa dos Bosques, e irmã de Igraine, mãe de Morgana e Arthur.



Segundo a tradição de Gales, a Dama do Lago tinha como missão proteger e entregar ao rei Arthur a espada mágica, Excalibur. E ela o faz junto com Merlin e Morgana num ritual em que Arthur jura respeitar tanto os cultos católicos como os de Avalon, quando se tornasse Rei.



Para os gauleses, os lagos eram divindades ou moradas dos deuses. Ouro e prata eram jogados nas suas águas. Eram considerados como palácios subterrâneos de diamantes, jóias, cristais e de onde surgiam as fadas, as feiticeiras, as ninfas e sereias. Mas os lagos também atraíam os humanos igualmente para a morte pois sentiam-se enfeitiçados.



Conta a lenda, que Viviane teve um romance com o mago Merlin por conta de uma promessa. A Dama do Lago entregaria seu amor ao mago se este lhe ensinasse seus segredos de magia. Em posse dos segredos, Viviane aproveitou esse conhecimento para aprisionar o Mago numa gruta. Merlin já havia visto seu próprio destino mas não conseguiu evitá-lo. Apesar disso, viveu feliz na companhia da mulher amada.



Visualize hoje a Dama do Lago lhe entregando a espada mágica que lhe trará força e sabedoria para conduzir a sua vida. Com a espada poderá cortar os obstáculos à sua frente e abrir caminho para o futuro dos seus sonhos.

Este é o lago municipal de Ipaussu.

Marion Zimmer Bradley no livro as Brumas de Avalon não tocou no assunto.

Rick Wakeman, no trabalho Os mitos e lendas do Rei Artur e os Cavaleiros da Távola Redonda, passou ao largo.

O Circulo Arturiano qu...e estudou o conjunto de lendas e obras literárias ligadas ao Rei e seus Cavaleiros jamais comentou.

Estudiosos da mitologia céltica ignoraram o tema.

Porém, eu que sou ecumênico, que acredito em gnomos, fadas, anões de jardim, duendes da Alemdalenda (sem querer fazer comercial da loja), posso jurar que nesse lago está ela: The Lady of the Lake, A Dama do Lago.

Com a palavra os moradores dessa bela cidade a quem mando os meus respeitos e as minhas homenagens.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Os mistérios do Parque Alfomares - Parte 7







Após este breve interregno quando estivemos pelo STJ e as questões sucessórias, volto à tentativa de provar que o de cujus pertencia à Opus Dei.

Nesses 25 anos de história, o Opus Dei colecionou críticos. Alguns de seus detratores mais radicais chegam a chamá-lo de “máfia santa”. Outros o acusam de ser “uma Igreja dentro da Igreja”, com poderes excepcionais e muito dinheiro sendo colocado a serviço de um conservadorismo atroz. Em parte, essa fama se deve às estreitas relações que a organização cultivou com o regime fascista do ditador espanhol Francisco Franco, de 1939 a 1975. Josemaría Escrivá, o próprio, ouvia as confissões do “generalíssimo”, como Franco era conhecido, e muitos integrantes ou colaboradores do Opus Dei foram nomeados ministros de Estado enquanto durou a ditadura. (Superinteressante novembro 2008)



CARTA DE ESCRIVÁ A FRANCO EL 23-V-1958
Publicado en la revista Razón Española
N° enero-febrero 2001

"Como testimonio del juicio que Franco merecía al hoy Beato Josemaría Escrivá de Balaguer, una de las figuras más eminentes de la Iglesia, reproducimos la carta fechada en Roma el 23 de mayo de 1958, cuya fotocopia, en unión de otras inéditas del Beato, se conserva en el archivo de la Fundación Nacional Francisco Franco (C/Marqués de Urquijo, 10, 28008 Madrid), abierto a los investigadores".
Al Excmo. Sr. D. Francisco Franco Bahamonde, Jefe del Estado Español.
Excelencia,
No quiero dejar de unir a las muchas felicitaciones que habría recibido, con motivo de la promulgación de los Principios Fundamentales, la mía personal más sincera.
La obligada ausencia de la Patria en servicio de Dios y de las almas, lejos de debilitar mi amor a España, ha venido, si cabe, a acrecentarlo. Con la perspectiva que se adquiere en esta Roma Eterna he podido ver mejor que nunca la hermosura de esa hija predilecta de la Iglesia que es mi Patria, de la que el Señor se ha servido en tantas ocasiones como instrumento para la defensa y propagación de la Santa Fe Católica en el mundo.
Aunque apartado de toda actividad política, no he podido por menos de alegrarme, como sacerdote y como español, de que la voz autorizada del Jefe del Estado proclame que "la Nación española considera como timbre de honor el acatamiento a la Ley de Dios, según la doctrina de la Santa Iglesia Católica, Apostólica y Romana, única y verdadera y Fe inseparable de la conciencia nacional que inspirará su legislación". En la fidelidad a la tradición católica de nuestro pueblo se encontrará siempre, junto con la bendición divina para las personas constituídas en autoridad, la mejor garantía de acierto en los actos de gobierno, y en la seguridad de una justa y duradera paz en el seno de la comunidad nacional.
Pido a Dios Nuestro Señor que colme a Vuestra Excelencia de toda suerte de venturas y le depare gracia abundante en el desempeño de la alta misión que tiene confiada.
Reciba, Excelencia, el testimonio de mi consideración personal más distinguida con la seguridad de mis oraciones para toda su familia.
De Vuestra Excelencia affmo. in Domino
Josemaría Escrivá de Balaguer
Roma, 23 de mayo de 1958.



Em 1955, são criadas pelo Generalíssimo Franco as Universidades Laborales conforme nos diz o Professor Ricardo Zafrilla Tobarra da Universidade de Castilla-La Mancha e que segundo ele eram um modelo falangista durante o franquismo.

Em 1957, Alfonso que reside no Brasil, cria sua Fundação na Espanha.

Em 1958, Monsenhor José Maria Escrivá, fundador da Opus Dei e hoje Santo, cria o colégio Tajamar.












FUNDACIÓN ALFONSO MARTÍN ESCUDERO


La Fundación Alfonso Martín Escudero es una institución sin ánimo de lucro, de carácter particular y privado, naturaleza permanente y nacionalidad española. Creada por D. Alfonso Martín Escudero en el año 1.957, está clasificada como benéfico-docente con el nº MAD-1-2-105 e inscrita en el Registro de Fundaciones.
La Fundación tiene por objeto:
  •  Fomentar la investigación y la ampliación de estudios superiores, así como conceder Premios, Distinciones y Ayudas en todas aquéllas Ciencias de la Naturaleza que conduzcan a la creación y mejora de elementos vitales para la prosperidad de España y el bienestar de los españoles, especialmente en materias de Agricultura y Acuicultura.
  •  Conceder Ayudas Económicas a trabajadores necesitados de cualificación que deseen especializarse cursando enseñanzas de formación profesional.
  •  Desarrollar y apoyar actividades relacionadas con la formación de dirigentes públicos y privados y otras para el mejor conocimiento y perfeccionamiento de las instituciones jurídicas y políticas españolas.














                                                                                         Tajamar



    Tajamar nació en 1958 en el barrio de Vallecas, secundando así un deseo expreso de San Josemaría Escrivá de Balaguer, Fundador del Opus Dei. En los años 50 este barrio madrileño estaba marginado de los planes de educación y no existía ningún centro educativo de enseñanza media. Había más de 12.800 niños sin escolarizar, según datos oficiales. Los alrededores eran descampados, escombreras y chabolas.
    El emplazamiento actual es de 1962. Las sedes anteriores, siempre en Vallecas, fueron, sucesivamente, un local en La Colonia Erillas (1958); el curso siguiente, un garaje situado en la calle Eduardo Requenas (1958-59); y, por último, una vaquería en el barrio de Doña Carlota, que se utilizó hasta el curso 1964-1965.
    Desde el comienzo, Tajamar busca formar a sus alumnos en el sentido de responsabilidad en su trabajo profesional y en una visión cristiana de la vida. El clima de libertad en el que se desarrolla esta labor es una de sus características principales. Otra razón que llevó a su creación fue ofrecer una enseñanza de calidad a familias con escasos recursos. Son más de 20.000 los antiguos alumnos.










Procurando a ligação entre Fundacion Alfonso Martin Escudero y Tajamar encontro:



Tajamar, es centro oficial de Microsoft y Cisco, a través de las
figuras IT Academy (Microsoft) y Networking Academy (Cisco),
impartiendo las certificaciones MCITP, MCSE y CCNA en programas
totalmente subvencionados por la Fundación Alfonso Martín Escudero,
dirigidos a personas con escasos recursos económicos y en desempleo o

empleo precario. El porcentaje de inserción laboral de estas
especialidades, hasta el pasado curso, es cercano al 100%.

Como a Opus Dei conta com numerários e extranumerários, aqueles celibatários e estes podendo constituir família, sou induzido a crer que Alfonso era um extranumerário da Obra.


Touché


Depois eu voltarei a falar do Parque Alfomares

Câmbio, desligo










Mistérios do Parque Alfomares - Parte 6


Alfonso Martin Escudero (10/09/1901 - 02/03/1990), viúvo de Dona Lucia Lavandera Espina de cujo matrimônio não deixara herdeiros, segundo a biografia apresentada no site da Fundación.

Contudo, nos anais do STJ - Superior Tribunal de Justiça, encontro um relato acêrca de um Embargo de Declaração datado de 14/10/1997 onde aparece uma filha adotiva de Alfonso.

Blanca Antonia Martin Escudero, nascida e domiciliada na Espanha, foi em 16 de julho de 1986, aos 45(quarenta e cinco) anos de idade, por escritura pública de adoção simples celebrada naquele país, adotada por Alfonso Martin Escudero.

Alfonso morava no Brasil desde 1955, ficou viúvo em 21 de julho de 1979 e não havia evidências de algum descendente biológico, legítimo ou ilegítimo.

Em fevereiro de 1989, o falecido Alfonso fez seu testamento aberto deixando todos os seus bens para a "Fundação Benéfico Docente Alfonso Martin Escudero" então recorrida no STJ pela filha adotiva Blanca, a recorrente.

Com o óbito de Alfonso, seus bens foram arrolados e foi pedido pela Fundação que fossem a ela adjudicados já que pelo testamento esta seria a herdeira universal.

Ao tempo em que Blanca fora adotada, as leis espanholas não reconheciam direito sucessório pela adoção simples.

Como a lei brasileira reconhece a filiação adotiva como legítima, Blanca conseguiu ter para si adjudicado o imóvel da Rua da Fraternidade.


Mistérios do Parque Alfomares - Parte 5


O próprio.


Já no ano de 1957, criou uma fundação com seu nome: Fundación Alfonso Martín Escudero.


No site da entidade temos sua biografia.




EXCMO. SR. D. ALFONSO MARTÍN ESCUDERO

 Breve semblanza del Fundador
Nació en el seno de una humilde familia, el 10 de junio de 1901 en Brihuega (Guadalajara), siendo el segundo de ocho hermanos.
Su padre, telegrafista, fue destinado a Mombuey (Zamora). De allí, teniendo solo 13 años y obligado por las estrecheces económicas familiares y por su talante emprendedor, salió del hogar familiar para incorporarse al mundo del trabajo como ayudante de un representante de tejidos.
Así inicio una fascinante progresión laboral que le permitió pasar por empleado de un comercio de tejidos, viajante y representante, empleado de unos grandes almacenes en Vigo, donde llegó a ser apoderado, hasta establecerse en la venta al por mayor de tejidos en La Coruña formando sociedad con un amigo. Sus extraordinarias dotes naturales para el comercio y su crédito de honrado y leal negociador, le hicieron merecedor de un gran prestigio y confianza por parte de los grandes fabricantes catalanes de tejidos que le encomendaron la venta exclusiva de grandes partidas de géneros de fuerte demanda en el mercado.
Contrajo matrimonio con Dª Lucía Lavandera Espina, de la que enviudó sin dejar descendencia.
Su creciente capacidad económica y su ánimo emprendedor le decidieron a dar el salto del Atlántico e iniciar la aventura americana. Se instaló primeramente en Cuba, donde su excepcional instinto y preparación le permitieron ser precursor en negocios de muy diversa índole.
No por ello abandonó sus actividades en España donde constituyó, entre otras, la Sociedad Minas de Hierro Alfomelo para la explotación de una concesión minera en Lubrin (Almería) y una Sociedad subsidiaria, Transporte de Minas, encargada de realizar los embarques de mineral extraído en Lubrin y exportarlo a países europeos muy necesitados de mineral de hierro. También entonces, adquiere la Sociedad C.U.P.A. Que poseía importantes terrenos situados en el Pº de la Castellana en Madrid.
Abandona Cuba cuando prevé que la isla sufrirá grandes convulsiones y se traslada a Brasil donde, después de variadas operaciones mercantiles, adquiere la propiedad de las acciones de un Banco del Estado de Sao Paulo. La gestión al frente del Banco le permitió conocer de primera mano el ambiente económico y comercial del país, en el que fallecería a los 88 años.
Durante toda su dilatada vida, tuvo siempre un extraordinario respeto y admiración por aquellas personas que dedicaban su vida a las diferentes ramas del saber humano. Su mayor pesar era no haber podido llegar a tener durante su juventud la posibilidad de formarse, de adquirir conocimientos. Consideraba que el mayor drama de una persona, lo que impedía su verdadero desarrollo, era el no tener acceso, por falta de medios económicos, a la cultura y a la formación.
Por ello, no regatea esfuerzos materiales y personales, hasta conseguir, el 27 de Junio de 1957, constituir la Fundación Benéfico-Docente que lleva su nombre, que fue clasificada como Fundación Privada, bajo el protectorado del Ministerio de Educación, el 4 de Febrero de 1958. La regentó personalmente hasta su fallecimiento, haciéndola entrega de gran dedicación y cuantiosas donaciones materiales.
El objeto de su Fundación refleja muy a las claras su gran preocupación y afán por el desarrollo personal a través de la formación: fomentar la investigación y la ampliación de estudios superiores, conceder premios y distinciones a los grandes trabajos referidos a la Ciencia y a la Investigación, a la Paz, al Progreso, a la Cultura y al Bienestar de la Humanidad, conceder ayudas económicas para estudios de enseñanza superior, y conceder ayudas a obreros no cualificados que deseen capacitarse profesionalmente.








 

Mistérios do Parque Alfomares - Parte 4





Estes são os guardiões da propriedade que pertenceu ao espanhol, Don Alfonso Martin Escudero. Ao observar outra foto mais aproximada de um deles, percebo semelhança com as esculturas de Kurt Schimid Ehmen ou talvez de Arno Breker, este conhecido como o Michelângelo do III Reich.

Pelo achego que os espanhóis tiveram com os nazistas por conta do apoio dado aos franquistas, passei a suspeitar que o referido Don Alfonso pudesse fazer parte da Opus Dei.

Se não, vejamos no próximo bloco.

Mistérios do Parque Alfomares - Parte 3





Banco Alfomares S/A e o aniversário de Cubatão
Publicado na edição de estréia do Jornal de Cubatão, em 9 de abril de 1968, página 8
Acervo do Arquivo Histórico de Cubatão



Ao pesquisar a palavra alfomares no google, descubro o nome de um banco que viria a ser comprado no ano de 1968 pelo Banestado. Já pela quinta página do site de busca, encontro um texto falando sobre a imigração espanhola e finalmente surge o nome de Alfonso Martin Escudero
“Don Alfonso Martin Escudero, presidente del Consejo de Administración del Banco Alfomares, de Sao Paulo (Brasil) ...".
Cai a tese de que seria um nome de origem árabe. Restava agora saber quem era o tal espanhol e quais teriam sido as razões de ter vendido o terreno e o banco.

Mistérios do Parque Alfomares - Parte 2



Ao chegar em casa, procuro informações na Internet, Google , Google Maps e Panorâmio. 

As primeiras informações dão conta de que havia um movimento dos moradores do Alto da Boa Vista tentando impedir a construção de um condomínio de alto padrão naquele local.

A área em questão possui 63 mil metros quadrados e milhares de árvores nativas e o empreendimento implicaria numa grande devastação.

O Ministério Público embargara a obra lançada pela Construtora e Incorporadora Inpar SA apontando diversas irregularidades. 

Tento procurar a ligação entre a JMT Propriedade Imobiliária S/A e a Inpar S/A o que só conseguiria em outro momento.

Descubro que aquele terreno pertencera a um espanhol, já falecido, Alfonso Escudero.

No Panorâmio, encontro algumas fotos que me deixam um pouco mais intrigado. A aura de mistério envolvendo o terreno e, agora, a figura de seu ex proprietário mais crescia.

Faltava algo para completar a sigla Alfomares. Tinha o começo e o fim, procurava o meio.



terça-feira, 27 de março de 2012

Mistérios do Parque Alfomares - Parte 1





Rua da Fraternidade 803.Aqui, começa mais uma história.


Num sábado qualquer em novembro de 2009, caminhando pelo aprazível bairro do Alto da Boa Vista, deparei-me com um beco sem saída, no final da rua da Fraternidade. 

Havia um muro alto com a pintura descascada, algumas pichações e um misterioso portão com arabescos coberto por uma chapa de aço tentando esconder o que pudesse existir na parte interna da propriedade.

 Como essa chapa continha recortes artisticamente elaborados, tentei por curiosidade, ver o que havia por de trás do portão. Mato, mato, arbustos, árvores, passarinhos, mais mato, abandono... 

Ainda na parte fronteiriça, à esquerda do portão, uma placa de metal com a inscrição Jardim Alfomares que encobria um outro nome ilegível.
À direita, uma placa com o nome Rua da Fraternidade e mais ao alto, na parte de alvenaria do arco que abrigava o portão, uma placa com o número 803.

Mais à esquerda, uma grande placa da JMT Propriedade Imobiliária S/A, indicando que ali estaria previsto um loteamento. Nela constavam números de quatro lotes, registros de licença ambiental entre outros. Como não vi sinal de obras em andamento, pensei numa possível falência da incorporadora. Nunca tinha ouvido falar em JMT. Poderia ser outra ENCOL. 

O tamanho da propriedade me impressionou. Da mesma sorte, a quantidade de árvores no local. Aquela imagem não me saiu do pensamento e o nome Alfomares me intrigava. Pela grafia, poderia afirmar que era de origem árabe. Não via a hora de chegar em casa para consultar o Google. Desconfiava que aquele muro pudesse esconder algum mistério...









































































sábado, 24 de março de 2012


Comentários: Vermelho rubi com reflexos indo para o granada. Vinho em evolução, límpido e transparente. No nariz é um vinho intenso abrindo as narinas, persistente e amplo. Notas de frutas vermelhas maduras e especiarias como alcaçuz, anis-estrelado e folhas secas. Muito complexo no nariz. Na boca é seco, sápido, mas com uma acidez bem presente para um vinho tinto de 2003. Acidez típica dos vinhos italianos. Vinho macio e com álcool bem integrado. Bom corpo e com forte presença de taninos, porém redondos. Final de boca longo e com aromas de especiarias. Necessita-se decantá-lo antes de servir por mais ou menos 1h para que possa mostrar todo o seu potencial. Na falta de um decanter, deixe-o descansar na taça que o contato com o oxigênio o beneficiará fazendo com que seja liberada toda a sua complexidade aromática.

Harmoniza-se com: carnes de caças, comidas bem condimentadas, pratos a base de funghi e comidas com gordurosidade.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

O bombardeio

O BOMBARDEIO

A “COISA” NÃO ESTAVA BOA. SALTO DA CAMA QUAL GATO ASSUSTADO. APANHO UM ESTADÃO DE DOMINGO E CORRO PRO BANHEIRO.

ACARAJÉ? COMIDA ÁRABE? JAPONESA? SEI LÁ!

CADERNO POR CADERNO ÀS VISTAS D’OLHOS E CHEGO AO

“ NEGÓCIOS E OPORTUNIDADES” .

JÁ ESTAVA LENDO O CLÁSSICO ANÚNCIO: “ PROCURO SÓCIO CAPITALISTA”, QUANDO A BONANÇA ENTÉRICA SE FEZ PRESENTE.

ALELUIA!

PORÉM, MAIS DO QUE O DESARRANJO, AINDA ME INTRIGAVA SABER QUEM SERIA O SÓCIO CAPITALISTA PROCURADO E PRA QUE; CHINCHILA, RANÁRIO, APARAS DE PAPEL E SUCATA?

QUANTAS OPORTUNIDADES DE SE FICAR RICO DO DOMINGO PRA SEGUNDA!

LIGO O RÁDIO. REIKI 1,2 E 3. TARÔ, TARÔ DE MARSELHA, EGÍPCIO, BARALHO CIGANO; CURSOS DE MOTIVAÇÃO, RITUAL DA PROSPERIDADE, RITUAL DA CHAMA VIOLETA; CRISTAIS, FENG-SHUI...

TUDO ISSO PROPALADO POR UM DOS CENTO E CINQUENTA LOCUTORES QUE SE ALTERNAM, A CADA MEIA HORA, NUMA RÁDIO DE

AUTO-AJUDA.

FALAM DE VIVÊNCIAS EM CHÁCARAS E SÍTIOS. DE DIPLOMAS E CERTIFICADOS MULTIPLICANDO TALENTOS.

TOCA O TELEFONE. UM VELHO CONHECIDO, NÃO PARENTE, ME CONVIDA A PARTICIPAR DE UMA REUNIÃO QUE IRÁ MUDAR MINHA VIDA. ACEITO O CONVITE PARA A PRÓXIMA SEMANA.

DESLIGO O RÁDIO E LIGO A TV.

O TELEVENDEDOR COMEÇA POR UMA FÁBRICA PORTÁTIL DE BONÉS E CHAPÉUS, PASSA POR UMA ESTAMPARIA DE CAMISETAS, SEGUE PARA UMA IOGURTEIRA, CHEGA ‘A REVENDA DE FOLHEADOS DE OURO E PRATA E SUGERE QUE ME TORNE DISTRIBUIDOR DE COGUMELOS MILAGROSOS. AH! SINTO-ME UM INDUSTRIAL, UM EMPRESÁRIO DE SUCESSO!

TOCA, OUTRA VEZ, O TELEFONE. OUTRO CONVITE, OUTRA REUNIÃO.

“QUER PERDER PESO AGORA? FALE COMIGO.” ERVAS MILAGROSAS ACABARÃO COM A OBESIDADE E ENCHERÃO O MEU BOLSO.

VOU AO COMPUTADOR. AVALANCHES DE “COOKIES” E TELAS QUE SE ABREM, SEM QUE EU PEÇA, OFERECENDO COISAS QUE EU NÃO QUERO:

CASSINOS VIRTUAIS, LOTERIAS INTERNACIONAIS, MULHERES INFLÁVEIS SENSACIONAIS.

VOLTO PARA A TV. SUTIÃ INVISÍVEL, FACA QUE CORTA UM JIPE, MEIA QUE NÃO DESFIA, GERINGONÇAS QUE ACABAM COM A BARRIGA TRANSFORMANDO, TAMBÉM, RAQUÍTICOS EM APOLOS; REMÉDIOS PARA A CALVÍCIE, CAMA INFLÁVEL, ÓCULOS PARA VER O SOL...

MUDO DE CANAL.

AH! EU SABIA!

O PAGODEIRO É O PAI DA CRIANÇA MESMO. A MODÊLO VAI SE CASAR. O ATOR FOI VISTO. O JOGADOR SE SEPAROU. A ATRIZ NÃO QUIS FALAR COM A IMPRENSA. IMPRENSA?

FULANO MORREU...MÚSICA TRISTE. LOCUÇÃO CONSTERNADA E, DE SÚBITO, NA HORA DO ANUNCIANTE, O APRESENTADOR, AINDA COM A VOZ EMBARGADA, DIZ QUE O CALDO DA GALINHA “X” É O MELHOR.

NÃO AGUENTO MAIS E SAIO. VOU AO CENTRO DA CIDADE.

CENTRO DA CIDADE...

DISCOS PIRATAS DO PAGODEIRO QUE É O PAI DA CRIANÇA, MESMO; GRIFE MAL ACABADA DA MODÊLO QUE VAI SE CASAR; CAMISETA FALSA DO JOGADOR QUE SE SEPAROU, BONEQUINHOS DO ATOR QUE FOI VISTO E DA ATRIZ QUE NÃO QUIS FALAR COM A IMPRENSA. IMPRENSA?

SOB ESSE BOMBARDEIO MERCANTIL BUSCO REFÚGIO NUM RESTAURANTE JAPONES. ARREMATO SUSHI E SASHIMI ‘A FARTA.

DOU UM PULO ‘A 25 DE MARÇO COMPLEMENTANDO QUIBE COM COALHADA. NA SUBIDA DO MORRO, NÃO RESISTO A UM ACARAJÉ APIMENTADO. CORRO PRA CASA.

EM CASA, ARRANCO O SAPATO E TENTO RELAXAR. PEGO NO SONO E SONHO. SONHO QUE A “COISA” NÃO ESTAVA BOA. ACORDO. SALTO DA CAMA QUAL GATO ASSUSTADO. APANHO UM ESTADÃO DE DOMINGO E CORRO PRO BANHEIRO.

ACARAJÉ? COMIDA ÁRABE? JAPONESA? SEI LÁ!